Desvendar histórias

Difícil será escolher entre tudo o que se pode visitar. Museus e património não faltam


O melhor é organizar a agenda para se poder intercalar com outras actividades, nomeadamente quando se está a pensar em ficar um bom par de dias. Na realidade, a vontade de voltar surge no primeiro momento em que se tem noção da imensidão do património e da cultura de toda a região. Não há, de facto, munícipio que não tenha um local para visitar.

As Linhas de Torres

As Linhas de Torres são o conjunto de fortificações e outros trabalhos defensivos situados na península de Lisboa. No contexto da Guerra Peninsular foram concebidas com a finalidade de impedir um exército invasor de atingir a capital do Reino de Portugal ou, em caso de derrota, permitir o embarque, em segurança, do Exército Britânico em retirada (www.linhasdetorresvedras.com).

Interpretar a história

O Centro de Interpretação do Forte de Alqueidão, o Centro de Interpretação da Batalha do Vimeiro e o Centro de Interpretação da Batalha de Aljubarrota ajudam a compreender a história da região. Em qualquer um deles o visitante tem a oportunidade de viver uma experiência única.

Museus e património

Os Museus de Torres Vedras, Alenquer, Óbidos, ricos em arqueologia, pintura e arte sacra; o Museu Malhoa, a Casa Museu São Rafael (Fábrica Bordalo Pinheiro), o Museu da Cerâmica e os Museus de Escultura, nas Caldas da Rainha; o Museu Etnográfico Joaquim Manso, na Nazaré; as Fortalezas de defesa da costa da Nazaré, Paimogo, Peniche e Berlenga, a par das fortificações das Linhas de Torres, testemunhas seculares da história da região, fazem parte de uma quase inesgotável oferta de monumentos que valem a pena visitar.

Centro Cultural e Congressos
Caldas da Rainha

Um espaço cultural imperdível já que traduz um bom exemplo físico e arquitectónico do que um edifício com esta finalidade deve ter. Sugerimos, por isso, que consulte a agenda em www.ccc.eu.com.


Google Analytics